Benefícios Flexíveis – Liberdade de escolha para os seus colaboradores e uma melhor performance para o seu escritório!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Planos de benefícios flexíveis, também conhecidos como beneflex, permitem que seus colaboradores escolham suas preferências dentre os programas oferecidos pela sua empresa. A ideia é fugir do pacote fixo que normalmente é oferecido, dando autonomia para que sejam escolhidos os que mais se adequem à realidade de cada um deles. Como resultado, há o fortalecimento da marca empregadora e a melhora do engajamento das equipes. 

O fato é que, esse recurso, ainda não é comum nas empresas brasileiras. Por isso, essa pode ser uma oportunidade para você se diferenciar no mercado e, não só reter seus talentos, como atrair novos para o seu escritório. 

Então, se você está se perguntando quais são as vantagens dessa decisão e se isso é algo que o seu escritório deve investir, continue lendo pois, o conteúdo de hoje, será sobre isso! 

O que são benefícios flexíveis?

Como comentei, esse assunto é relativamente novo aqui no Brasil, então, antes de seguirmos, vamos entender melhor o que são benefícios flexíveis

A palavra benefício, agrega tudo o que o colaborador recebe fora do seu salário padrão, como: vale refeição e alimentação, plano odontológico, convênio médico, entre outros. 

Dessa forma, quando falamos em benefícios flexíveis, nos referimos a permissão concedida ao colaborador de escolher, entre as opções disponibilizadas pela empresa, qual atende melhor às suas necessidades. Essa seleção resulta em um pacote personalizado que se adapta ao estilo de vida e preferência de cada um deles. Tudo isso, sem deixar de seguir os direitos e as obrigações dos colaboradores e da empresa determinados na CLT.

O que a lei diz sobre os benefícios flexíveis?

É claro que o modelo de benefícios flexíveis, assim como qualquer elemento na relação entre empregador e colaborador, está sujeito a implicações legais conforme a legislação trabalhista, como você bem sabe. Por isso, o escritório precisa estar atento a essas implicações e como elas podem favorecer ou desfavorecer a implementação do modelo.

Até o presente momento, a legislação brasileira ainda não favorece muito esse modelo mais flexivel de benefícios. Isso porque a CLT determina que todos os colaboradores de uma empresa devem ser tratados de forma igualitária. Ou seja, a possibilidade de que dois colaboradores recebam benefícios diferentes, tendo o mesmo cargo, pode criar uma situação de conflito caso um deles alegue ser prejudicado por isso. 

Dessa forma, é aconselhável que seja feito um acordo coletivo de trabalho, fixando essa flexibilização dos benefícios. Também é necessário estipular condições idênticas para colaboradores de um mesmo nível hierárquico (mesmo conjunto de opções e benefícios apresentando o mesmo “preço”). Além disso, é indispensável coletar a autorização por escrito do colaborador, quando o benefício implicar na realização de descontos em folha de pagamento (art. 462 da CLT).

Vale lembrar que oferecer benefícios flexíveis não significa excluir aqueles que são exigidos por lei. Ou seja, deve-se manter::

  • Vale-transporte;
  • Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS);
  • Licença-maternidade;
  • Adicionais noturnos e horas extras; 
  • 13° salário, entre outros.

Conheça as 6 principais vantagens dos benefícios flexíveis

Burocracias à parte, implantar um sistema de benefícios flexíveis, pode ser extremamente vantajoso para o seu escritório. Aqui embaixo eu elenquei os principais, vamos ver? 

1- Aumentar o apelo da marca

No mercado de trabalho atual, os candidatos podem ser cada vez mais seletivos sobre onde desejam trabalhar. Isso significa que, quando se trata de recrutar colaboradores qualificados e competentes, as empresas precisam se destacar e ser mais competitivas do que nunca. 

Dessa forma, esquemas de benefícios flexíveis ajudam a atrair esses profissionais e podem ser um fator decisivo ao determinar se devem, ou não, aceitar uma oferta no seu escritório. 

Além disso, com uma oferta forte de flexibilidade, os colaboradores que já fazem parte do seu quadro, ficam mais propensos a falar bem do seu escritório fora do trabalho. Sendo outra ferramenta muito útil para atração de talentos

2- Melhorar a retenção

Um pacote de benefícios flexíveis pode ser um fator-chave para reter quem já faz parte do seu quadro de colaboradores. Isso porque, uma boa oferta de benefícios pode se tornar parte essencial da vida de seus colaboradores, como um verdadeiro complemento de sua renda mensal. 

Além disso, a rotatividade de colaboradores pode custar caro! Não só pro bolso, considerando que o custo médio de substituição de um colaborador pode ser de até R$36 mil reais por ano, mas também para a reputação do seu escritório. Afinal, será estranho para os seus clientes acompanhar tamanha mudança de equipe, já que isso pode dar a entender que algo errado está acontecendo. 

Por isso, quando colocado na ponta do lápis, custa muito menos oferecer benefícios flexíveis do que recrutar, treinar e adaptar um novo colaborador. 

3- Reduz doenças e ausências

Fornecer benefícios flexíveis, principalmente aqueles que envolvem o bem-estar do colaborador, como recursos de saúde mental, descontos para atividades físicas, home office, flexibilidade de horário, entre outros, tem efeito direto na saúde dele. E, portanto, podem reduzir o absenteísmo e a ausência por doenças. 

Inclusive, estima-se que as faltas por doença chegam a custar, para uma empresa, cerca de R$6 bilhões de reais por ano! 

Por isso, ao oferecer descontos e programas para promover o bem-estar, você permite que seus colaboradores adotem uma abordagem ativa para manter a saúde mental e física. E o resultado líquido disso é uma força de trabalho mais saudável e mais presente. 

4- Otimiza o orçamento da empresa

Uma das vantagens mais expressivas desse modelo é que ele garante que o colaborador de fato irá usufruir do benefício que escolheu. Excluindo assim a possibilidade de que a empresa acabe pagando para o prestador um benefício que tem pouca ou nenhuma adesão.

Além disso, a flexibilidade também diminui a exigência de novos benefícios. E, a médio e longo prazo, permite criar uma estratégia que otimize o uso dos recursos da instituição em relação aos benefícios. 

Dessa forma, a implantação de benefícios flexíveis no escritório, pode garantir que você está investindo seu dinheiro em ações que realmente fazem sentido para seus colaboradores. 

5 – Melhora a produtividade

Fica difícil cobrar um bom desempenho de um colaborador insatisfeito, não é mesmo? Nessa questão, um incentivo faz toda a diferença para a produtividade. É por meio dessa estratégia que você pode conquistar uma equipe mais engajada e comprometida com os resultados da empresa.

Muitos fatores que envolvem o desempenho profissional podem estar ligados ao lado psicológico de um colaborador. Ou seja, o sistema de benefícios flexíveis dá liberdade para o colaborador, permitindo que ele priorize o que considera importante. Isso aumenta a sua satisfação e, consequentemente, o mantém mais motivado e produtivo.

Portanto, investir no bem-estar como incentivo à performance, tende a ser uma estratégia bem-sucedida.

6- Aumenta a diversidade 

Pessoas podem possuir necessidades e responsabilidades diferentes em cada fase de suas vidas. 

Por exemplo, seus colaboradores na casa dos 20 e 30 anos podem preferir cursos, vale transporte e benefícios à cultura. Enquanto, os colaboradores com 50 anos, ou mais, podem dar preferência a um plano de saúde, seguro de vida e auxílio creche. 

Isso, obviamente, não é uma regra, no entanto, o que eu quero dizer aqui é que, atender a diferentes necessidades, não só aumenta, como abraça e incentiva a diversidade de pessoas em seu escritório. E isso pode ser incrivelmente valioso, pois você pode criar equipes com diferentes percepções, opiniões e ideias, sendo uma vantagem poderosa para o seu escritório. 

Quais benefícios flexíveis seu escritório contábil pode oferecer? 

Agora que já sabemos o que são esses benefícios, o que a lei diz sobre eles e quais são suas vantagens, vamos conhecer alguns exemplos de quais podem fazer parte do seu pacote de flexibilidade. 

Embora eles possam assumir muitas formas, geralmente os benefícios flexíveis dizem respeito às necessidades dos colaboradores associadas ao trabalho, vida em casa, saúde física e emocional e planejamento para o futuro. Neste contexto, as opções geralmente oferecidas são:

  • Auxílio creche e escola;
  • Ajuda Pet;
  • Auxílio ao desenvolvimento profissional (aulas, cursos ou treinamentos);
  • Cobertura de despesas para escritório híbrido (por exemplo, Wi-Fi, luz e telefone);
  • Convênio de saúde e odontológico com diversas opções de cobertura;
  • Custeio de estacionamento, gasolina ou transporte público;
  • Folgas (por motivos pessoais, emendas de feriado ou compra de férias);
  • Home office;
  • Licença sabática;
  • Plano de aposentadoria ou poupança;
  • Programas de assistência profissional (aconselhamento de carreira, psicologia e coaching);
  • Programas de bem-estar (como ginástica laboral, aulas de ioga, massagem e desconto em academias);
  • Reembolso de mensalidades e empréstimos estudantis;
  • Reembolso para despesas de saúde para titulares e dependentes;
  • Seguro invalidez e seguro de vida;
  • Trabalho flexível (por exemplo, horário flexível, semanas de 4 dias e flexibilidade de turno);
  • Vale-refeição, vale-alimentação ou refeição no local.

6 Passos para implantar benefícios flexíveis em seu escritório

Agora que você viu a quantidade de opções que se pode oferecer aos colaboradores com os benefícios flexíveis, deve estar ansioso para saber como implantar aí no seu escritório, não é mesmo? Pois saiba que essa transição não é nenhum pouco difícil!

No formato tradicional é o escritório que indica quais benefícios a equipe vai receber. Independente das necessidades individuais de cada um. Já, com a política de benefícios flexíveis, o colaborador tem a liberdade de escolher o que é melhor para o seu estilo de vida. 

Dessa forma, colocar esse modelo em prática, exige apenas alguns passos, vamos conhecê-los aqui embaixo:

1- Faça um diagnóstico do agora

Antes de qualquer coisa, você deve entender e avaliar como os colaboradores enxergam os benefícios que o seu escritório oferece agora. 

Essa avaliação pode ser feita com uma pesquisa de clima, que consiste em perguntas que podem ajudar você a entender melhor a percepção e o sentimento de seus colaboradores.

Além desse diagnóstico, procure identificar também o perfil do seu quadro de colaboradores, como: idade, gênero, estado civil, número de dependentes, classe social, soft e hard skills, entre outras características que você julgar importante. 

Isso te dará insumos sobre quais benefícios ainda funcionam, quais podem ser reestruturados e quais devem ser excluídos do seu pacote.

2- Escute seus colaboradores

Com a pesquisa em mãos, você, com a ajuda do RH, pode começar a pensar em quais ofertas podem ser adicionadas ao seu pacote de benefícios flexíveis

Depois disso, informe aos seus colaboradores sobre a elaboração de um novo plano de benefícios e peça para que eles contribuam com sugestões. O envio delas pode ser feito por e-mail, caixas de sugestões, redes sociais internas, mural de recados ou, se preferir, reúna-se com eles para ouvir suas opções.

É fundamental levar em consideração a opinião dos colaboradores, afinal, essa ação tem como objetivo melhorar a satisfação deles com a empresa. Portanto, não feche um pacote de benefícios flexíveis seguindo apenas as suas percepções.   

Lembre-se também de demonstrar que as sugestões foram ouvidas e, quando tiver uma lista flexível montada, esclareça a eles porque certas sugestões foram descartadas. 

3- Comece a montar o plano de benefícios flexíveis 

Com todos esses insumos em mãos, chegou a hora de montar o pacote de benefícios flexíveis. E essa é uma das partes mais difíceis dessa implementação, pois, mesmo diferentes entre si, os pacotes  precisam ter valores equivalentes.Isso é essencial para que não haja acusações de discriminação na empresa. Além de evitar que a alteração seja prejudicial a algum de seus colaboradores. 

Feito isso, comece a analisar a viabilidade da mudança. Compare os custos atuais e os custos da flexibilização, verificando sempre o impacto financeiro para a empresa. No entanto, lembre-se que os possíveis gastos a mais podem ser revertidos em maior satisfação dos colaboradores, atração e retenção de talentos, diminuição da rotatividade e aumento da produtividade. Ou seja, a médio prazo, a flexibilização tende a gerar economia e lucro para a empresa.

4- Defina a forma de escolha

Como falamos anteriormente, o modelo de benefícios flexíveis permite que o colaborador opte por um pacote pré-definido ou adicione benefícios individualmente a sua carteira. 

Em ambos a tecnologia pode ser uma aliada e uma plataforma digital pode facilitar o sistema. Isso porque, você pode disponibilizar um valor geral dentro dessa plataforma e permitir que o colaborador divida este montante entre as opções disponíveis. Ou, você pode também, oferecer opções de pacotes fechados, seguindo as informações que conseguiu na pesquisa, permitindo que ele escolha qual atende melhor suas necessidades.

Independente da forma que você definir, a implantação desse sistema fica mais fácil com uso de uma plataforma especializada para visualização, escolha e gerenciamento desses benefícios. Tanto por parte da empresa como pelos próprios colaboradores.

 5- Comunique a mudança de forma clara e não deixe dúvidas

Forma de escolha definida, agora é hora de comunicar a mudança para os colaboradores. É importante fazer essa comunicação de forma clara e explicar a eles como irá funcionar o novo sistema de benefícios flexíveis. 

Todos os aspectos devem ser registrados e assinados em um acordo coletivo detalhando todas as regras, como: permissão de mudanças, período para isso e se haverá algum desconto em folha ou não. Dessa forma, tudo fica mais transparente e há maior segurança jurídica para ambas as partes. 

Uma boa prática também é disponibilizar modelos de simulação do sistema antes de implantá-lo. Dessa forma, os colaboradores entram em contato com as opções e as plataformas que serão utilizadas no processo de escolha e gerenciamento dos benefícios. Além disso, o escritório pode também ter uma noção antecipada daquilo que funciona e dos aspectos que precisam ser repensados, antes de colocar tudo em prática.

6- Cuidado ao gerenciar

Administrar os benefícios flexíveis vai exigir maior dedicação e atenção sua e do RH, visto que em um pacote como esse, muitos benefícios podem não ser tão convencionais. 

Outro ponto importante a ser observado é o risco trabalhista envolvido, caso um colaborador alegue que seus pares têm benefícios melhores que os seus. Por isso, repito: não esqueça de formalizar tudo em contrato. Isso é um resguardo para você e para os seus colaboradores. 

De maneira geral, lidar com qualquer que seja a remuneração sempre envolve riscos. Dessa forma, é importante estar disposto a abraçar a causa e encarar todas as complexidades que a acompanham. Caso contrário, as vantagens que essa transição poderia gerar, não serão satisfatórias nem para o seu escritório e nem para o colaborador. 

Portanto, pense bem antes de tomar essa decisão, mas, tenha em mente, que suas vantagens valem a pena e podem ser bem lucrativas. 

Plataformas que podem te ajudar a gerenciar os  benefícios flexíveis

Vee Benefícios 

A Vee Benefícios ajuda na gestão dos benefícios flexíveis. Isso porque, ela funciona como uma carteira digital, concentrando ali todos os benefícios, incentivos e premiações recebidas pelo colaborador.

Dessa forma, tudo pode ser administrado em tempo real via internet, o que representa, além de praticidade e transparência, uma diminuição de custos logísticos com questões como emissão e entrega de cartões, por exemplo.

Flash Benefícios

O Flash Benefícios é outra opção de plataforma que ajuda você e seu RH a consolidarem todos os benefícios que o seu escritório oferece em uma só plataforma. 

Diferente da Vee, aqui, seus colaboradores receberão um cartão para utilizar seu saldo em diversos estabelecimentos espalhados pelo Brasil. 

Um ponto positivo da Flash é a disponibilidade de descontos que o colaborador tem em mais de 80 lojas, onlines e físicas. 

Caju

A Caju também torna o processo de gerenciamento de benefícios muito mais fácil. Isso porque, caso você opte por ofertar um montante permitindo que o colaborador divida esse valor entre os benefícios que você disponibilizou, dentro da Caju, ele pode fazer isso com apenas um clique. 

Além disso, o colaborador pode usar o vale-cultura da Caju para pagar serviços de streaming, como: Spotify, Netflix, Amazon Prime, entre outros. E para o vale transporte, ela também permite que o colaborador use seus benefícios flexíveis em aplicativos de mobilidade, como: Uber, 99, bicicletas e patinetes. 

Pronto para engajar seus colaboradores com benefícios mais flexíveis?

Então é isso! Espero que esse artigo tenha esclarecido suas dúvidas sobre esse modelo de benefícios e te ajudado a entender o quão vantajosa pode ser essa mudança. Afinal, os benefícios flexíveis oferecem opções que se adaptam ao estilo de vida de seus colaboradores, celebrando suas diferenças, contribuindo para um ambiente de trabalho mais produtivo e melhorando o uso do orçamento da empresa. 

Além disso, implantar esse sistema não é tão difícil assim e suas vantagens fazem tudo valer a pena. Por isso, espero que, ao concluir esse conteúdo, você coloque a mão na massa e dê o primeiro passo, combinado?  
E se você já disponibiliza benefícios flexíveis aos seus colaboradores, deixe aqui nos comentários como tem sido essa experiência e quais foram os resultados desse investimento. Seu relato será muito bem vindo!

3 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *