EBITDA – Saiba como calcular esse indicador em seu escritório contábil e melhorar a produtividade e performance dos seus colaboradores

Você certamente já ouviu falar sobre o EBITDA, não é mesmo? Mas será que você sabe exatamente o que esse termo contábil significa? Pois é, apesar de muito importante, não é incomum encontrar empresários contábeis que não entendam exatamente o conceito dessa palavra. 

De forma resumida, o EBITDA é um indicador fundamental para a gestão financeira de um negócio. Muito utilizado e conhecido por investidores da Bolsa de Valores, esse KPI é uma peça-chave para empresas, independente do seu porte, pois a permite enxergar além do lucro líquido e do prejuízo da organização. Ainda, o EBITDA também auxilia o gestor a entender o balanço da sua empresa, a descobrir o potencial de geração de caixa na atividade fim e a determinar a evolução da produtividade e da eficiência ao longo dos anos. Ou seja, é através desse indicador que um escritório  consegue analisar a sua saúde financeira de maneira mais aprofundada e, assim, tomar decisões mais assertivas. 

Por isso, neste artigo, iremos entender mais sobre o seu significado, importância e como calculá-lo.

Vamos lá?

O que é EBITDA?

Antes de nos aprofundarmos nesse assunto, é importante explicar melhor o que é EBITDA, assim, ao longo desse conteúdo, permanecemos no mesmo nível de conhecimento. 

EBITDA, nada mais é que um termo que vem do inglês e que significa “Earnings Before Interest Taxes, Depreciation and Amortization” que, traduzido para o português é possível formar o acrônimo “LAJIDA”: Lucro Antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização. 

Agora, ficou um pouco mais fácil ter uma ideia do que ele se trata, não é mesmo? Então, vamos seguir.

Para que serve o EBITDA?

O EBITDA serve para verificar fatores, como  competitividade, produtividade e eficiência de um escritório. É através dele que você consegue medir, com rigor, o resultado líquido do negócio.

Para isso, o que ele faz é utilizar um cálculo específico para mostrar  o lucro gerado por meio da atividade fim do escritório, ou seja, a venda de serviços contábeis, destacando o resultado final e apresentando a lucratividade da empresa. 

Seu objetivo é garantir uma visão macro do negócio e uma avaliação da qualidade sobre o desempenho, de forma limpa e assertiva, possibilitando aos decisores visualizar a realidade da organização no presente para conseguir tomar melhores decisões para o futuro. Além disso, quando o EBITDA de uma empresa cresce, significa que a mesma está no auge da sua produtividade e eficiência. Já quando o contrário acontece e esse indicador cai, mostra que ela não está financeiramente saudável e precisa de atenção quanto à geração de caixa.

Portanto, em resumo, o EBITDA é um indicador financeiro que mostra o desempenho real do escritório e te auxilia na tomada de decisões com base em dados concretos.  

Qual a diferença entre EBIT e EBITDA?

Se você tem essa dúvida, saiba que não está sozinho. Afinal, por serem palavras super parecidas, é normal rolar essa confusão. Mas, já adianto que, apesar disso, eles não são iguais e nem possuem os mesmos significados, porém, complementam um ao outro. 

EBIT significa “Lucro antes de Juros e Imposto” e refere-se ao lucro operacional obtido nas demonstrações de resultados das empresas. Enquanto o EBITDA, tema do nosso artigo, analisa o lucro gerado por meio da atividade fim do escritório. Ou seja, a diferença é que o EBITDA, ao contrário do EBIT, também soma ao resultado líquido da companhia, as despesas com depreciação de ativos tangíveis e amortização de ativos intangíveis. 

Em outras palavras, o EBITDA é o EBIT somado às despesas com depreciação e amortização. Ao eliminar esses dois efeitos, o EBITDA faz com que os resultados se tornem mais próximos do potencial de geração de caixa de uma empresa.

Por isso, os dois conceitos se completam. Afinal, antes de calcular o EBITDA do seu escritório, é necessário calcular o seu  EBIT. E, para isso, você precisará das informações financeiras que mencionei acima, são elas:

  • Lucro operacional;
  • Depreciação;
  • Amortização.

Veja abaixo como encontrá-las:

Lucro operacional

É o lucro produzido diretamente pela operação do seu escritório, além dos gastos comerciais. Para calculá-lo, basta executar a seguinte operação: 

  • Lucro Operacional Líquido (EBIT) = Lucro Bruto – (Despesas Operacionais + Receitas Operacionais) =

Depreciação

Já a depreciação é a apuração do valor de um ativo que se depreciou ao longo de sua vida útil. Ou seja, é como identificar o quanto algo teve o seu valor reduzido por perda de serventia ou desgaste. Como falamos de um escritório, esses bens podem ser: mesas; cadeiras; computador; sistema ERP; entre outros. 

Seu cálculo é feito da seguinte forma:

  • Depreciação = (Custo de Aquisição – Valor Residual) / Anos de Vida útil) =

Amortização

A amortização segue uma lógica parecida com a depreciação. Isso porque, ela também consiste em identificar o quanto um ativo perdeu valor. Porém aqui, não se fala de itens tangíveis e sim intangíveis, como valor de marca, patentes, etc.

O cálculo pode ser feito assim:

  • Amortização = (Valor Inicial – Valor Residual) / Vida útil =

Como calcular o EBITDA?

Agora que entendemos o conceito do EBITDA e como encontrar as informações necessárias para calculá-lo, que tal ver na prática como surge esse indicador?

Pois bem, com os valores de lucro operacional, depreciação e amortização em mãos,  basta montar a fórmula do EBITDA, padronizada pela Comissão de Valores Mobiliários, para chegar ao seu resultado, veja:

  • EBITDA = Lucro Operacional Líquido + Depreciações + Amortizações

Para ficar ainda mais claro, que tal um exemplo?

Imagine que os números abaixo representam o seu escritório em determinado período:

  • Receita Líquida: R$50.000,00;
  • Serviços Vendidos: R$ 3.500,00;
  • Despesas:

Gerais: R$5.500,00;

Vendas: R$1.500,00;

Depreciação: R$800,00;

Amortização: R$900,00;

Administrativas: R$1000,00.

Com esses números em mãos, a primeira coisa que você precisa fazer é somar todas as despesas:

  • Gerais: R$5.500,00 + Vendas: R$1.500,00 + Depreciação R$800,00 + Amortização R$900,00 + Administrativas R$1.000,00 = Despesas: R$9.700,00

Depois, calcular o EBIT:

  • EBIT = Receita Líquida: R$50.000,00 – ( EBIT: R$9.700,00 + Seviços vendidos: R$3.500) =  EBIT: R$36.800,00

Por fim, com o valor do EBIT em mãos, podemos calcular o EBITDA:

  • EBITDA = EBIT: R$36.800,00 + Depreciação: R$800,00 + Amortização: R$900,00 = EBITDA R$38.500,00

Como aplicar esse conceito no dia a dia da empresa?

O EBITDA é um valioso indicador, pois permite que você mensure, de forma bastante efetiva e real, os resultados do seu escritório. Uma vez que desconsidera em seu cálculo efeitos financeiros e eventuais decisões contábeis do negócio.

Ou seja, por meio dele é possível encontrar a origem dos recursos, seus possíveis ganhos e prejuízos, pontos de melhoria, além de saber se realmente o seu escritório está crescendo de forma saudável. 

Por exemplo, se o seu indicador EBITDA aumenta, significa que sua força de trabalho está sendo eficiente, produtiva e muito bem alocada em suas funções. Agora, se ele diminuir, é um grande sinal de alerta para a saúde financeira e indica que mudanças precisam ser feitas em suas operações. 

Vale lembrar também que o EBITDA é apenas um dos indicadores financeiros que você precisa acompanhar em seu escritório. Inclusive, o ideal é que você o compare com os demais relatórios para que tenha mais parâmetros. Alguns exemplos de indicadores que você pode acompanhar, são: 

Portanto, a melhor maneira de aplicar o conceito do EBITDA em seu escritório, além de acompanhá-lo de forma periódica, é somá-lo a outros indicadores e métricas financeiras. Assim, é possível ter dados e informações sempre concretas e completas. 

Pronto para calcular o EBITDA do seu escritório?

Deu pra entender um pouco mais sobre o EBITDA? Em resumo, posso dizer que ele age como um recorte da sua empresa que ilustra a sua atual situação produtiva. Isso porque, quando está em alta, ele revela que a projeção da eficiência produtiva está favorável. E, quando em queda, aponta que existem obstáculos comprometendo o desempenho da sua empresa.

Então, espero que agora que você está afiado sobre o assunto, passe a olhar para esse indicador com mais atenção e, claro, periodicidade, combinado? Qualquer dúvida, pode deixar seu comentário aqui embaixo, ficarei feliz em ajudá-lo a entender ainda mais esse conceito. 

Até o próximo conteúdo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Explore
Redes Sociais

© 2021 Gestta | Todos os direitos reservados