fbpx

Todo negócio que deseja crescer e rentabilizar, utiliza o marketing como forma de divulgar seu serviço ou produto. Com a contabilidade não seria diferente, o marketing contábil tem crescido expressivamente. Mas, para que o contador faça o uso correto dessa estratégia, é preciso estar atento ao código de ética no marketing contábil

Segundo a Norma Brasileira de Contabilidade (NBC) Nº 1 de 07.02.2019, o Código de Ética Profissional do Contabilista (CEPC) tem como objetivo fixar a conduta do contador quanto ao exercício da sua atividade e assuntos relacionados a sua profissão e classe.  E entre as suas cláusulas, existem regras bem claras sobre a publicidade da sua prestação de serviços, conhecido com marketing contábil, sobre as quais o CEPC impõe restrições importantes.

Então, se você tem dúvidas sobre esse assunto e não quer ter problemas como o CEPC, continue lendo este artigo. Pois, nele irei analisar cada uma das regras do código de ética em relação à publicidade e marketing na área contábil de forma detalhada!

Um novo código de ética no marketing contábil

Vamos entender melhor como funciona a periodicidade em relação a alterações no código de ética contábil: 

ética no marketing contábil

Olhando a linha do tempo, podemos ver que, desde 1986 o código não é alterado seguindo a evolução do contador. Somente alterações pontuais. Apenas em 2019, houve uma alteração considerável no código, principalmente em relação a ética no marketing contábil

Essa mudança ocorreu devido ao crescimento dessa estratégia na área. Sem regulamentação, os contadores não sabiam o que era certo ou errado de se fazer, acarretando sérios problemas ao CFC. Como o aumento das notificações de ferimento a ética existente, concorrência desleal, entre outros.

Por conta disso, o código de ética no marketing contábil, regido pela NBC PG 01, foi atualizado. Com o intuito de normatizar e disciplinar a conduta dos profissionais da contabilidade no exercício e divulgação do seu trabalho. Tudo para deixar claro ao contador, qual o caminho correto a seguir para que se faça o marketing e publicidade do seu escritório. Sem ferir seus colegas de profissão, sendo justo e transparente. 


Ética no marketing contábil – Analisando as regras

Bom, agora que você entendeu um pouco sobre o histórico do código de ética contábil. Vamos destrinchar cada trecho dele em relação a ética no marketing contábil. E entender melhor o que é possível fazer para continuar divulgando seu escritório e serviço sem ferir nenhuma das regras.

Vamos lá?

1- Não pratique a mercantilização

Art.11- A publicidade, em qualquer modalidade ou veículo de comunicação, dos serviços contábeis, deve primar pela sua natureza técnica e científica, sendo vedada a prática da mercantilização.

Mas, peraí, o que é mercantilização? Segundo o dicionário, a Mercantilização é: “transformar (alguma coisa) em mercadoria”. Em outras palavras, o art. 11 do Código de ética no marketing contábil nos diz que: ao planejar sua estratégia de publicidade e divulgar seu escritório, você não deve tratar seus serviços contábeis como uma mercadoria. 

Isso quer dizer que, o marketing contábil deve priorizar a natureza científica da área. Ou seja, investir na divulgação de conteúdos que possam levar informação ao cliente. Como notícias, curiosidades, dúvidas e nunca na venda direta do seu serviço. 

Sendo assim, para continuar investindo na divulgação, sem ferir a ética no marketing contábil, é aconselhável que você invista com tudo no marketing de conteúdo. Dessa forma, você pode utilizar suas postagens nas redes sociais para levar conteúdo relevante para o seu nicho. E criar um blog com artigos que possam conscientizar e educar seu público. Isso ajuda a criar autoridade e conquistar novos clientes. Afinal, com o marketing de conteúdo você pode mostrar ao seu público que domina o assunto no qual ele tem interesse e, consequentemente, poderá ajudá-lo com suas dores.


2- Seja discreto

Art.12- A publicidade dos serviços contábeis deve ter caráter meramente informativo, ser moderada e discreta.

Mesmo essa informação sendo um tanto quanto vaga, segue a mesma linha do artigo 11, ou seja, diz que o seu marketing deve ter como objetivo informar e não persuadir. 

O CEPC também proíbe a utilização de cores e formas exageradamente chamativas em materiais publicitários contábeis, bem como os jargões utilizados principalmente no varejo, como “o patrão ficou maluco!”,”deu a louca nos honorários”, “o melhor escritório de contabilidade do Brasil”, “resolva todos os seus problemas no meu escritório”, entre outros similares.

Quando falamos propaganda e marketing, essa estética chamativa costuma nos vir à mente primeiro. Mas, o marketing de conteúdo precisa tomar esse lugar, uma vez que, ele pode tornar seu escritório relevante, trazendo até o seu negócio o cliente que realmente faz sentido para você e tem o que é necessário para comprar o seu serviço. 

3- Não use dados que não possam ser comprovados

Art.13- Cabe ao profissional da contabilidade manter em seu poder os dados fáticos, técnicos e científicos que dão sustentação à mensagem da publicidade realizada dos seus serviços.

Ou seja, toda mensagem e dado que você utilizar no Marketing do seu escritório, devem, ser comprovados. E o artigo não se refere somente a números. Se você usar um slogan ou chamada como: “Os melhores contadores da cidade você encontra na Maju Contabilidade”, em um material publicitário da sua empresa contábil, por exemplo, será possível difícil comprovar essa afirmação, caso ela seja questionada. Além de dizer, nas entrelinhas, que todos os contadores de outros escritórios são menos qualificados, o que também é proibido, segundo a ética no marketing contábil. 

Dessa forma, sempre que postar algo, seja transparente quanto a veracidade dos fatos ou dados, procure utilizar informações como, tempo de serviço e quantidade de colaboradores,  reforçando a credibilidade do seu negócio. E se o seu escritório atende de forma segmentada, você pode informar quantos clientes possui de determinada área, colocando-se como referência no setor. Ou seja, reforçando mais uma vez: use apenas dados que você pode comprovar.


4- Procure não ferir a reputação de outros profissionais

Art.15- É vedado efetuar ações publicitárias ou manifestações que difamem a reputação da ciência contábil, da profissão ou dos colegas, entre as quais:

(a) fazer afirmações desproporcionais sobre os serviços que oferece, sua capacitação ou sobre a experiência que possui;

(b) fazer comparações depreciativas entre o seu trabalho e o de outros;

(c) desenvolver ações comerciais que iludam a boa-fé de terceiros.

Neste artigo a intenção do código de ética no marketing contábil é impedir que sejam vinculadas mentiras ou exageros sobre o perfil do contador e publicações que possam ferir outro profissional do mercado. Isso mostra que o objetivo do código é manter a transparência das informações sem prejudicar o seu próprio nicho. É importante saber que citações indiretas a outros profissionais, escritórios ou grupos também são proibidas. 

Portanto, use o marketing do seu escritório para divulgar a qualidade e excelência dos seus serviços e não para diminuir o trabalho de outros profissionais.

Manter uma relação de parceria e bom convívio entre seus colegas de classe é fundamental, afinal, todos estão em busca do mesmo objetivo: ajudar os empresários com uma gestão mais consciente e estratégica de seus negócios. E com o aumento de 23,3% na taxa de novos empreendedores neste ano, tem cliente para todos os escritórios. 

5- Siga as regras

Art.16- “O profissional deve observar, no que couber, o Código de Defesa do Consumidor, especialmente no que concerne à informação adequada e clara sobre os serviços a serem prestados, e a Lei de Propriedade Industrial que dispõe sobre crimes de concorrência desleal.”

Não ofereça ao público aquilo que você não pode cumprir ou que não é permitido pela classe. Neste contexto, fica claro que não se deve prometer aquilo que o seu escritório não pode entregar. 

Tenha cuidado ao descrever seu trabalho na internet e procure manter a realidade do seu serviço e de suas entregas e isso não diz respeito apenas ao momento da propaganda. Mesmo que o cliente já tenha fechado contrato com o seu escritório, o código de ética ainda o protege em relação a falsas promessas. Por isso, é fundamental, alinhar as expectativas do seu parceiro com a realidade do seu negócio e utilizar um acordo de nível de serviço para deixar claro todos os pontos dessa parceria, mantendo ambos protegidos. 

Agora é com você!

Embora bastante específico, o código de ética no marketing contábil não é exageradamente restritivo, suas regras exigem apenas transparência e respeito entre os profissionais desse mercado. E seguir suas determinações, além de ser um dever, reduz significativamente a probabilidade do seu escritório ser penalizado em suas atividades e reforça o profissionalismo desse mercado tão acirrado.

E agora que você está afiado sobre a ética no marketing contábil, pode colocar a mão na massa e começar a divulgar o seu escritório da maneira mais segura e eficiente possível!