fbpx

Você sabe como os níveis de felicidade organizacional podem afetar a performance dos seus colaboradores e os resultados de sua empresa? Pois é, muito além das competências e habilidades, o nível de satisfação e bem-estar dos seus colaboradores também é um grande indicador de desempenho.

Não é por acaso que uma pesquisa realizada pelo World Health Organization mostrou que nos últimos 18 anos a economia mundial perdeu cerca de U$ 1 trilhão devido a existência de ambientes organizacionais ruins. Por outro lado, o mesmo estudo mostrou que a cada U$ 4 milhões investidos em ações de bem-estar do colaborador, o retorno é quase imediato devido ao aumento de produtividade. Ou seja, está provado que colaboradores felizes produzem mais e melhor. É por isso, que a felicidade organizacional entrou para a agenda de diversas empresas e, no artigo de hoje, irei ajudar você a colocar esse conceito em prática no seu escritório.

Vamos lá?


O que é felicidade organizacional

Felicidade organizacional é um estado de realização e emoções positivas associadas à atividade profissional exercida. Mas, é claro que o conceito de felicidade é subjetiva e por isso varia conforme a experiência, expectativa e motivação de cada indivíduo. 

De acordo com o especialista em felicidade Nic Marks, a melhor definição para a felicidade organizacional seria: “a abreviação de uma ótima experiência, que resume a qualidade das vivências no trabalho diário”. Autor do livro The Happiness Manifesto, Nic dividiu a felicidade no trabalho em três emoções:

  • Entusiasmo: um estado de energia elevada que incentiva as pessoas a criar e buscar a inovação, mobilizando esforços em equipe;
  • Interesse: diretamente ligado ao nível de foco no trabalho, o que ajuda a manter o comprometimento com as tarefas e a responsabilidade com os objetivos do negócio;
  • Contentamento: uma emoção subjetiva, que se traduz na satisfação em fazer um bom trabalho e ter orgulho da profissão como um todo. 

Isso mostra que a felicidade organizacional é um conjunto de sentimentos, emoções e percepções de tudo aquilo  que é feito durante um dia de trabalho. 


Já para Martin Seligman, conhecido como pai da psicologia positiva, existem 5 fatores que determinam a felicidade no trabalho:

  • Emoção positiva;
  • Engajamento;
  • Sentido na vida;
  • Realização positiva;
  • Relacionamentos positivos.

Para Sigman, a felicidade no trabalho só é possível com o reconhecimento pleno das emoções positivas, virtudes e forças pessoais. Ou seja, mais do que um momento de alegria, essa sensação ou sentimento, diz respeito a algo como um estado de espírito abrangente e completo, que não se modifica nem se altera, independente dos obstáculos e frustrações que podem surgir em um dia de trabalho.

E além disso, essa felicidade também está ligada de forma direta à auto realização e a sensação de trabalhar com um propósito, podendo aproveitar ao máximo o potencial individual e enxergar esse resultado nos impactos positivos da empresa. 

https://materiais.gestta.com.br/solicitacao-de-demonstracao-1


Qual a importância da felicidade organizacional

A frase “colaborador feliz é mais produtivo” pode ser comprovada por diversas pesquisas ao redor do mundo e, por isso, tem se tornado pauta definitiva nas empresas.

O ranking 100 Best Companies to Work For da Fortune, por exemplo, surgiu em 1998 com o objetivo de medir os níveis de felicidade dos colaboradores e selecionar as melhores empresas para se trabalhar no mundo. E de acordo com uma pesquisa realizada pela Forbes, as empresas que fazem parte desta lista, tiveram um crescimento de 14% em suas ações e contam com mais de 20% de colaboradores mais produtivos. 

Não é preciso ir muito longe para compreender por que colaboradores satisfeitos são mais engajados e geram resultados superiores. Por exemplo, já notou como seus colaboradores trabalham melhor em dias de comemoração? Ou quando são elogiados? Pois é, isso mostra que, ao nutrir a felicidade organizacional, nem que seja com pequenas ações recorrentes, o escritório ganha colaboradores mais dedicados e que encaram os objetivos e desafios do negócio, como se fossem seus propósitos pessoais. 

Na era do capital humano, colaboradores motivados são o principal diferencial competitivo e é preciso investir nesses ativos para obter o retorno esperado. No caso, estamos falando de pessoas, que têm seus próprios sonhos, aspirações, necessidades e precisam de um ambiente motivador para que possam despertar todo o seu potencial.

Além disso, é o nível de satisfação das pessoas que determina o clima organizacional e ajuda a moldar toda a cultura, visão, missão e propósito da empresa. Se os sentimentos e percepções dominantes forem positivos, há grandes chances de que esse bem-estar seja refletido diretamente no crescimento do negócio. Por outro lado, quando negativos, eles podem afetar drasticamente a produtividade e lucratividade da organização.


Quais fatores impactam a felicidade organizacional?

A felicidade organizacional depende de inúmeras ações e fatores que atravessam questões organizacionais, culturais e gerenciais.

Abaixo veja quais pontos são importantes para avaliar em seu escritório:


Propósito

A geração de hoje busca mais do que um alto salário: eles desejam um trabalho com propósito e significado. Dessa forma, o primeiro ponto que influencia na satisfação organizacional é a sensação de que o serviço feito por ele, vale a pena e impacta de forma direta os resultados da empresa.

Basicamente, seus colaboradores devem compreender a importância de suas funções e o quanto elas podem influenciar o resultado da empresa. Ou seja, cada funcionário deve sentir que é peça chave na organização. 

Reconhecimento

Outro ponto chave no engajamento do colaborador é o reconhecimento por parte dos gestores e colegas. E esse reconhecimento não precisa vir, necessariamente, em forma de presente ou bônus financeiro, embora, sejam sempre bem vindos. 

Aqui, o importante é conseguir mostrar ao colaborador o quão seu trabalho está sendo valorizado e, assim, fortalecer a cultura da meritocracia no escritório. Seja por meio de campanhas de incentivo, plano de carreiras ou pequenas homenagens.


Autonomia

Ter autonomia no trabalho não significa fazer o que quer e sim ter a liberdade de tomar decisões responsáveis, sugerir ideias e influenciar positivamente o trabalho de outra pessoa.

Quanto mais empoderados os colaboradores se sentirem, melhor será seu desempenho e motivação. Por isso, você pode aumentar os níveis de felicidade organizacional oferecendo a eles mais espaço para novas ideias e tornando a hierarquia mais horizontal e flexível.  


Equilíbrio

Esse é um dos pontos mais importantes para a maioria dos profissionais e deve ser para os seus colaboradores também, afinal, o equilíbrio entre a carreira e a vida pessoal é um dos maiores desafios modernos.

Por mais que o trabalho seja gratificante, é impossível alcançar a felicidade sem o tempo adequado para descanso, lazer e relações pessoais.


Valores

Para o colaborador a identificação com os valores da empresa também é um ponto crucial para a felicidade organizacional. Isso porque, os colaboradores precisam sentir que estão alinhados com os princípios da organização, para que tenham orgulho de fazer parte da equipe e da empresa. 

Assim, o chamado “fit cultural” é fundamental para que o colaborador se conecte e se encaixe na empresa. 

Como promover a felicidade organizacional

1- Avalie o clima

O primeiro passo para melhorar o índice de felicidade organizacional é avaliar como está o clima atual do seu escritório. E esse processo deve ser repetido por semestre ou bimestre, o importante é não deixar de acompanhar a evolução desses indicadores.


2- Comunique-se de forma aberta

A comunicação aberta também é um ponto fundamental para promover a felicidade no ambiente de trabalho.

Vale muito a  pena ser transparente com seus colaboradores e permitir o fluxo de informações, além de ter bons canais de comunicação. Proporcionando a integração entre as áreas. Parte da comunicação também é saber ouvir, por isso, não esqueça de dar voz aos seus colabores e deixar com que eles se expressem sem ter medo de represálias. 


3- Ofereça feedbacks

O reconhecimento, como citei neste artigo, pode vir na forma de um programa de incentivo por desempenho, premiações, homenagens, bônus e quaisquer estratégias que você possa usar para valorizar seus colaboradores.

Para isso, também é preciso dar bons feedback, de forma efetiva, contínua e consistente, focando no crescimento profissional. Além disso, deixe aberto aos seus colaboradores que você também pode e deve receber feedbacks deles, assim, eles sentirão que suas opiniões são realmente importantes. 


4- Compartilhe os resultados

Para que os colaboradores se sintam felizes, eles precisam saber exatamente o que a empresa espera deles e como seu trabalho pode impactar nos resultados do todo.

Por isso, seu próximo passo deve ser  compartilhar as metas, resultados, números e objetivos do negócio com todos que fazem parte do escritório, deixando claras as expectativas sobre o desempenho de cada colaborador.


5- Ofereça oportunidades de desenvolvimento

Boas oportunidades de se desenvolver e aprender, também são cruciais para a felicidade organizacional, pois oferecem aos colaboradores a oportunidade de enxergar novos horizontes.

Por isso, é importante trabalhar com planos de carreira, promover bons treinamentos, incentivar programas de mentoria, disponibilizar cursos e workshops para um aprendizado constante. Essa questão é ainda mais relevante para um mercado tão volátil quanto o contábil. 


6- Construa uma cultura leve

Por fim, construir uma cultura leve que incentive a inovação significa oferecer um ambiente de trabalho flexível e dinâmico, no qual as novas ideias são bem-vindas e os colaboradores têm apoio em seus projetos

Esse tipo de ambiente costuma contar com uma hierarquia menos rígida e uma liderança que inspira, além de métodos de trabalho que incentivam a colaboração mútua. Nesse sentido, você pode criar políticas de horários flexíveis e implementar tecnologias que agilizem a gestão de tarefas, por exemplo.


Pronto para entrar no ranking das 100 melhores empresas para se trabalhar?

Seguindo as dicas desse artigo, não tem como o resultado  ser outro.

Não é difícil tornar seus profissionais mais satisfeitos e felizes, não é mesmo? São pequenas ações e atitudes que podem tornar o dia a dia do colaborador muito mais feliz e, consequentemente, aumentar sua produtividade.

E Para saber se seus colaboradores são felizes no trabalho eu montei um teste que pode te ajudar. Ele contém perguntas simples que auxiliam seus colaboradores a entender quais sentimentos e percepções eles têm em relação ao trabalho. Então, compartilhe o teste com seus colaboradores e comece agora mesmo a investir e colher os frutos da felicidade organizacional.