fbpx

Planejar novas estratégias, gerenciar equipes no trabalho home office e prever possíveis instabilidades na economia, são apenas alguns dos desafios que o empreendedor enfrenta hoje devido a pandemia da COVID-19. Além de mais desafiadora, a administração do fluxo do caixa durante a crise do coronavírus se tornou mais imprescindível do que nunca para manter a empresa viva e saudável neste período. 

Administrar o fluxo de caixa é uma das mais importantes atividades exercidas pelo empreendedor, especialmente em momentos de instabilidade econômica, como as de agora. É preciso planejar onde serão aplicados cada recurso financeiro que a empresa conquista e tentar reduzir custos desnecessários, além de controlar de perto as entradas e saídas de dinheiro. 

Por isso, no artigo de hoje, iremos falar um pouco mais sobre a importância de cuidar e olhar diariamente para o fluxo de caixa da sua empresa, além de apresentar algumas dicas de como administrá-lo durante esse período de instabilidade. 

Vamos lá? 

Qual a importância do fluxo de caixa? 

Como você já sabe, o fluxo de caixa é a ferramenta que projeta para os períodos futuros toda entrada e saída dos recursos financeiros da sua empresa, além de ser o seu melhor auxílio para a tomada de decisões. 

Por isso, um dos principais motivos pelos quais é importante realizar a administração do fluxo de caixa, é se permitir enxergar toda a movimentação financeira da sua empresa, dentro do período, com mais clareza em termos de receita e despesas. 

Não esperávamos começar 2020 com um período de calamidade pública, então agora, mais do que nunca, o gerenciamento do fluxo de caixa durante a crise do coronavírus se tornou a ferramenta mais importante e eficiente para manter o seu negócio. 

Com base nas receitas e despesas previstas, você pode organizar as diretrizes para que sua empresa se mantenha sustentável e consiga desviar dos riscos e dificuldades financeiras. Afinal, imprevistos como o de agora podem acontecer novamente e, portanto, é imprescindível que você se mantenha preparado. 

Administrar o seu fluxo de caixa é entender de maneira eficiente seus recursos para pagar impostos, aluguéis e outras despesas mensais ou variáveis, além de verificar o que pode ser reduzido ou até mesmo eliminado. 

Durante este (ou qualquer) período de crise, é fundamental monitorar e instituir o gerenciamento eficaz do seu fluxo de caixa, essa pode ser a ação mais importante que você pode executar para navegar em tempos difíceis. 

Embora a contabilidade tenha um papel importantíssimo neste momento de crise, pode ser que as dificuldades de seus clientes reflitam diretamente no faturamento e no fluxo de caixa do seu escritório, por isso é provável que você precise aplicar todo seu conhecimento para prever os efeitos da pandemia e tentar se adaptar a situação. 

Quanto mais rápido você puder se antecipar às consequências da crise, melhor será sua resposta aos possíveis cenários e a administração do seu fluxo de caixa, com toda certeza te ajudará nesta tarefa. 

7 Dicas de como administrar seu fluxo de caixa durante a crise 

1- Entenda suas necessidades de caixa e capital de giro  

Em algumas empresas o fluxo de caixa já está sendo afetado à medida que ficam sem receita. Por isso, é importante que você entenda totalmente como será o seu fluxo de caixa no curto prazo. Tente documentar todos os seus pagamentos variáveis ou não, para ter uma imagem completa. 

Analise o cenário para entender como possíveis interrupções na operação do seu escritório, podem afetar a liquidez no médio prazo. Teste todas as premissas para garantir que estejam corretas e modele um quadro negativo.

Assim você pode entender os riscos potenciais, isso inclui entender o quanto dessa previsão pertence aos clientes existentes e quanto depende da aquisição de novos. 

2- Reduza suas despesas 

Cortes de custos podem causar mais danos do que benefícios, podem prejudicar seus funcionários ou até mesmo alarmar seus clientes, por isso você pode começar reduzindo seus custos com pequenos ajustes.

Por exemplo, caso seus funcionários estejam em home office, em prol do isolamento social, você pode congelar sua assinatura de internet e telefone, por exemplo. Suspender horas extras também pode ser uma boa opção para reduzir custos e manter seu fluxo de caixa durante a crise

Pode ser que crise se estenda mais do que imaginávamos, tornando inevitável analisar a folha de pagamento. Essa é a maior despesa da maioria dos escritórios, por isso as demissões surgem como uma alternativa, quando o assunto é redução de custos. 

Mas é importante lembrar que sua equipe será essencial para recuperar sua empresa quando esse momento passar, então ter uma equipe mais enxuta pode até poupar seus custos e aliviar o fluxo de caixa neste momento. Porém ao término dessa crise você pode ter custos ainda maiores para contratar, treinar e integrar essas pessoas ao seu time. 

3- Negocie com seus colaboradores 

O Governo colocou em vigor a MP 936/2020 com o intuito de evitar demissões, o que permitiu a negociação da jornada e do salário do colaborador. 

Com a nova medida provisória, você pode suspender o contrato de trabalho por no máximo 60 dias, o que libera o funcionário para receber o auxílio emergencial e seguro desemprego.  

Outras opções também foram disponibilizadas, como adiantamento de férias, redução da carga de trabalho e salário em até 70%. Além disso, em caso de home office, o custo com vale transporte também poderá ser cancelado de forma temporária. 

Negociar essas alternativas, além de aliviar um pouco o seu fluxo de caixa durante a crise, garante o emprego do seu colaborador. 

4- Negocie com seu cliente 

Será necessário negociar com seu cliente também, pois é importante lembrar que esse momento tem afetado a todos e pode ser que seu cliente esteja passando pelo mesmo que você. 

Uma forma de manter o pagamento do seu honorário é oferecendo descontos que não afetem tanto o seu fluxo de caixa. Por exemplo, descontos de 2 a 3% do valor do honorário para pagamentos feitos antes do vencimento pode ser uma maneira eficaz. Mesmo que essa atitude tenha algum custo em sua margem de lucro, será melhor do que não receber o pagamento por seus serviços, ou até mesmo deixar de oferecê-lo a algum cliente, que neste momento precise mais do que nunca de você. 

Oferecer o parcelamento do honorário também pode ser uma boa opção para alguns clientes. 

Então o ideal é que você entenda caso a caso e negocie esses débitos para evitar possíveis inadimplências que poderão afetar o seu fluxo de caixa.

 

5- Negocie suas despesas 

A mesma atitude que você aplica aos seus clientes, também deve ser usada com os seus credores. Se a sua empresa tiver alguma dívida com credores ou fornecedores o ideal é tentar negociar. 

Uma das despesas mais críticas pode ser o aluguel do seu escritório. Como dissemos, a crise tem afetado diversos negócios, sendo assim é possível que seu locatário já esteja aberto a negociar seus aluguéis atrasados ou não.

Então uma boa opção seria sugerir pagar com descontos o aluguel enquanto durar o período de calamidade pública e, posteriormente repor esse valor de forma parcelada durante alguns meses. Essa é uma forma de alongar a dívida e diluir o valor no futuro, sem prejudicar o seu fluxo de caixa agora. 

Seus credores e fornecedores podem entender melhor sua situação se você estiver aberto a discutir cada circunstância. Propor um plano de pagamento que ofereça garantias de que eles ainda receberão seu dinheiro sem comprometer a viabilidade de seus negócios no curto prazo é o melhor a se fazer. 

6- Apoios governamentais podem ajudá-lo 

O governo tem lançado medidas provisórias e pacotes econômicos emergenciais para socorrer as empresas na crise do coronavírus, então é importante que você fique atento aos benefícios. 

Por conta da quarentena, mais de 30 medidas provisórias já foram propostas desde março, número que representa quase 68% de todo o volume de MPs produzido em todo o ano de 2019.  

As MPs relacionadas à pandemia de coronavírus incluem a criação de programas para manutenção de empregos durante a crise, por meio de linhas de crédito para empresas (MP 944) e compartilhamento de encargos trabalhistas (MP 936); a liberação de recursos do FGTS (MP 946); a recomposição dos fundos de participação dos estados e dos municípios (MP 938); a simplificação de compras públicas (MP 951); a facilitação de acesso ao crédito (MP 958), e o Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte – PRONAMPE para o desenvolvimento e fortalecimento dos pequenos negócios (PL 1282), que ainda aguarda aprovação. 

Essas medidas podem ajudá-lo a manter saudável o fluxo de caixa durante a crise

7- Fique atento à Receita 

Assim como o governo, a Receita Federal vem criando maneiras de ajudar o empreendedor. 

Como a MP 985/2020 que se aprovada pelo senado, irá prorrogar algumas obrigações tributárias, entre outras medidas introduzidas para empresas que enfrentam dificuldades durante a crise. 

Por isso é importante que você se mantenha informado sobre quaisquer outras medidas anunciadas, assim como suas em manter suas responsabilidades em dia. 

Permanecer ciente desses congelamentos proporcionará a você e ao seu fluxo de caixa um certo respiro. 

Então é isso 

Espero que nossas dicas possam ajudar você a gerenciar seu fluxo de caixa durante a crise. 

Quanto mais rápido você puder agir e se preparar, maiores serão as chances de manter sua empresa sustentável e sua economia saudável. 

No mais, continue atento às notícias e procure aproveitar da melhor forma tudo que o 

Governo tem oferecido na tentativa de minimizar os impactos dessa pandemia. 

E se você tiver alguma dica que ajude outros contadores a administrar o seu fluxo de caixa durante a crise, por favor deixe sugestões nos comentários!  

Até a próxima e se cuida ?.