Que contador nunca se perguntou: quanto devo cobrar pelos meus serviços? Essa é uma dúvida que aflige principalmente os escritórios recém chegados. E o pior é que ao não utilizar uma tabela de honorários contábeis o escritório corre o risco de orçar um preço e no futuro ver que cometeu equívocos, ficando então com o prejuízo (que pode ser tanto a perda de clientes por conta o preço fora de mercado quanto financeiro por cobrar um preço que não paga o serviço ofertado).

E atenção, tabelas estipuladas por sindicatos e outras empresas de contabilidade podem até dar uma base, mas se não avaliar suas particularidades, uma empresa contábil pode acabar perdendo dinheiro.

Mas então, o que inserir nos cálculos? Como precificar corretamente os serviços contábeis? É sobre isso que falaremos no artigo de hoje. Se você deseja construir uma tabela que reduza suas chances de prejuízo ao realizar um orçamento, sugiro que continue a leitura.

1- Como cobrar os honorários contábeis

Um dos paradoxos mais curiosos do universo contábil é justamente esse. Um contador é capaz de auxiliar seus clientes na precificação de serviços, explica como avaliar custos fixos e despesas, margens de lucro, etc. Mas quando precisa precificar o próprio serviço, esse profissional encontra certa dificuldade.

Mas justiça seja feita, em um dos países com o maior número de impostos e burocracias contábeis, definir honorários contábeis não é uma tarefa fácil.

Mesmo com a ajuda das tabelas de preço fixo disponibilizadas por sindicatos e a média de mercado, deve-se olhar para as particularidades de cada empresa contábil.

Sem uma estratégia de precificação que avalie também os custos específicos como aluguel, mão de obra, e outras despesas, a chance de obter lucro é quase zero.

Veja, não que as tabelas sindicais não sejam úteis, elas são necessárias para fixar um preço mínimo no mercado e garantir que não haja concorrência desleal.

Mas esses valores são apenas o primeiro passo. Deve-se partir deles e considerar as particularidades que já mencionei acima.

O segredo é encontrar o equilíbrio entre a capacidade de pagar todas as contas do escritório e obter lucro, e manter a competitividade.

E o que deve ser levado em conta ao avaliar as próprias despesas para construir uma tabela de honorários contábeis eficiente? Confira no próximo tópico

Saiba mais: Conheça algumas atitudes que geram valor ao escritório contábil

 

2- Quais fatores considerar ao precificar serviços contábeis

Você já sabe o preço mínimo a ser cobrado, mas o que mais deve entrar na construção de uma tabela para os honorários contábeis?

Tempo

Se para o resto das pessoas tempo é dinheiro, para o contador é barra de ouro. Embora o cliente muitas vezes não perceba, a dedicação que o contador dá às empresas não sai de graça.

Telefonemas, visitas ao cliente, construção de relatórios, tudo isso demanda boa parte do seu tempo que poderia ser gasta com outros clientes, por isso você não só deve como precisa receber por isso.

Custo de equipe

É preciso descobrir quanto cada colaborador custa por hora para o seu escritório. Depois avalie quantas horas esse profissional gasta para realizar determinadas tarefas e você terá uma base de quanto de custo de equipe deve incluir na tabela de honorários contábeis.

Custo total

É aqui que entram os gastos com locação de sala comercial, despesas com internet, material para escritório, custos com softwares, etc. Para descobrir o valor ideal, divida o total de custo pela complexidade de cada cliente.

Como em um condomínio, quem possui um apartamento maior paga mais, quem ocupa mais o escritório também deve pagar por isso.

Margem de lucro

Você sabe calcular margem de lucro, mas será que a insere nas tabelas de honorários contábeis? Lembre-se que seu escritório não é centro de caridade.

Uma empresa contábil jamais deve trabalhar apenas para pagar as contas. É preciso que haja o lucro que será revertido em investimento, poupança, ou até mesmo em incentivos que englobem toda a empresa como bônus e PLR.

Concorrência

Esse é o único fator que reduz o valor dos honorários e eu vou te explicar o porquê: Se ao somar todos os itens anteriores você chegou a um valor muito mais alto do que a média praticada pela concorrência, talvez seja preciso rever os gastos, do contrário sua empresa contábil pode perder competitividade.

Mas cuidado, entrar em guerra de preços quase nunca é uma boa ideia. A última coisa que você deve fazer é reduzir sua margem de lucro (caso ela esteja maior do que a média do mercado). Procure reavaliar os preços com fornecedores, reestruture o time contábil, enfim, você melhor do que ninguém conseguirá enxergar onde deve-se passar a tesoura.

3- O que não fazer ao precificar serviços contábeis

Um erro muito cometido por escritórios que criam tabelas de honorários contábeis é fixar honorários incorretamente, isto é, ao estabelecer os valores, alguns contadores deixam de mensurar o nível dos conhecimentos exigidos para determinada tarefa, investimentos realizados como aquisição de softwares e cursos extracurriculares.

Outro erro é estabelecer honorários contábeis exagerados. Estes, mesmo que cubram todo o custo e deem uma boa margem de lucro, tiram a competitividade e fazem com que os clientes prefiram a concorrência.

Por fim, principalmente os escritórios recém chegados ao mercado, costumam não especificar no contrato o que poderão ou deverão cobrar como acessórios (RAIS, DIRF, entre outros) e acabam tendo problemas no futuro.

Se você é muito criterioso ao auxiliar clientes, precisa ser 2 vezes mais ao realizar o levantamento de todos os seus custos.

Elaborar uma tabela de honorários contábeis é demorado e trabalhoso, mas assim que ela estiver pronta até os orçamentos poderão ser enviados com mais agilidade e você não correrá o risco de oferecer o serviço por um preço que não seja rentável.
&nbsp

Saiba mais: A verdade nua e crua sobre clientes contábeis inadimplentes