fbpx

A rotina de um escritório contábil exige que as equipes saibam lidar com inúmeros desafios e alto nível de estresse, como: prazos apertados, clientes nervosos e preocupados com suas empresas, tarefas burocráticas e mudanças na legislação. Ou seja, mais do que conhecimento na área é preciso ter muita inteligência emocional no trabalho para não deixar que esses desafios afetem sua saúde mental e suas entregas.

Por conta disso, a inteligência emocional tem sido altamente valorizada nesse mercado. A capacidade de saber lidar com emoções, estresse e pressão, cria profissionais seguros e garante um alto desempenho em suas performances. Porém, essa não é uma competência que se pode treinar em sala de aula e medir. Pelo contrário, é uma habilidade subjetiva menos tangível e, por isso, precisa ser diariamente incentivada e estimulada.

Quer saber mais sobre a inteligência emocional no trabalho e entender como ajudar sua equipe a desenvolver essa habilidade? Continue lendo!


O que é inteligência emocional

Tão valorizada quanto a  intelectual, a inteligência emocional é a capacidade de gerenciar as próprias emoções, assim como interpretar e compreender as respostas emocionais de outras pessoas. Estamos falando de uma habilidade essencial para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Afinal, nosso dia a dia é cercado de relações humanas e o fato de não saber lidar com conflitos, intra e interpessoais, é algo que pode minar o crescimento de um profissional. Portanto, vale a pena conhecer um pouco mais sobre essa skill.

Os psicólogos estudam o conceito de inteligência emocional há anos, mas foi Daniel Goleman, famoso jornalista científico americano, quem o aplicou ao local de trabalho e à liderança. Em 1995, ele publicou o livro Inteligência Emocional, e a descreveu como a capacidade de “lidar com nós mesmos e nossas relações” usando quatro domínios:

  • Autoconsciência: saber o que sentimos e por que sentimos. (A base para a tomada de decisão produtiva);
  • Autogestão: lidar com nossas emoções angustiantes de forma eficiente;
  • Empatia: saber o que outra pessoa está sentindo;
  • Gestão de relacionamento: juntar todos os domínios para melhores habilidades sociais e induzindo as respostas desejadas de outras pessoas.

Nesse vídeo Goleman explica melhor os 4 domínios da inteligência emocional:

Qual a importância da inteligência emocional no trabalho?

Graças a Goleman, as empresas hoje reconhecem o papel significativo da inteligência emocional no trabalho. Ele revelou ligações diretas entre a inteligência emocional no trabalho aos resultados e lucros positivos de um negócio. Além disso, ele também provou a influência dessa habilidade no desempenho do trabalho, potencial de liderança e felicidade geral dos colaboradores.

No ambiente corporativo, o conhecimento técnico, também conhecido como hard skill, é uma das principais exigências para quem almeja o sucesso profissional. Entretanto, ao passo que o domínio das técnicas pode garantir uma contratação, os problemas comportamentais podem ser motivos para demissão.

A dificuldade em criar bons relacionamentos  interpessoais, por exemplo, é um fator que pesa negativamente nos resultados de uma equipe. Já aquele que consegue colocar em prática a inteligência emocional no trabalho, lida de forma positiva com situações de conflito e pode influenciar o sucesso da força de trabalho, como um todo.

Além de melhorar o trabalho em equipe, o profissional que desenvolve inteligência emocional no trabalho também garante mais capacidade de negociação, comunicação assertiva, liderança e resiliência. Assim como, lidar com situações conflituosas de forma equilibrada, qualidade essencial para um profissional contábil que lida diariamente com esse tipo de cenário.

Estimular a inteligência emocional no trabalho pode ajudar o colaborador a superar suas dificuldades intrapessoais como: falta de autoconfiança, sentimento de desvalia e desmotivação. Sem falar que o autoconhecimento e o autocontrole auxiliam no poder de decisão e na resolução de problemas complexos, o que também são pontos importantes. 

Como resultado, o profissional que demonstra inteligência emocional no trabalho passa uma imagem positiva para o cliente e para a equipe em que trabalho.


Como saber se sua equipe já têm inteligência emocional no trabalho?

A inteligência emocional no trabalho não é difícil de detectar quando se sabe o que procurar. 

Profissionais emocionalmente inteligentes geralmente possuem estas qualidades-chave:

1. Reações controladas: alguém que não possui inteligência emocional no trabalho reagirá imediatamente frente ao conflito. Sem pesar os pontos positivos e negativos da situação diante deles. 

2. Empatia: é a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa. Um profissional emocionalmente inteligente é capaz de sentir o que outra pessoa está experimentando e entender como a pessoa gostaria que ele reagisse.

3. Autoconsciência: ser capaz de entender, reconhecer os estímulos que se tem enfrentado e administrá-los de forma proativa é um sinal de inteligência emocional.

4. Pensamento analítico: profissionais que são capazes de pensar profundamente e analisar todas as novas informações que chegam em seu caminho, são considerados pensadores analíticos e altamente inteligentes emocionalmente.

5. Adaptabilidade: um profissional emocionalmente inteligente será capaz de se adaptar rapidamente às mudanças e situações de crise 

Se a equipe do seu escritório é formada por profissionais com essas características, parabéns! O artigo para você acaba aqui. Mas, se você identificou que a escassez dessas qualidades em sua equipe, nem que seja em um colaborador, peço que siga para o próximo tópico, pois ele poderá ajudá-lo

Como estimular a inteligência emocional no trabalho em sua equipe

Bom, se você chegou a essa etapa é porque identificou que a sua equipe tem dificuldades em relação a inteligência emocional no trabalho e deseja ajudá-los com isso.Criar times emocionalmente inteligentes não é fácil, mas promovendo as condições e o ambiente ideais, é possível estimular essa habilidade nos seus colaboradores de forma natural.. 

Veja algumas ações simples para fazer isso:


1- Promova exercícios de construção de equipe

Inteligência emocional no trabalho

Exercícios de construção de equipes são uma maneira muito divertida de desenvolver a inteligência emocional no trabalho. A formação de equipes ajuda a quebrar as barreiras emocionais entre os colaboradores, estimula a empatia ao compreender melhor uns aos outros e leva a uma melhor comunicação e colaboração. Existem vários jogos e exercícios de improvisação que você pode começar a trabalhar com sua equipe. O importante é se mostrar disposto a participar e a aprender junto a eles. Neste momento, tente não se colocar como superior e sim como mais um membro do time. 


2- Incentive o feedback

Inteligência emocional no trabalho

Oferecer feedback efetivo aos seus colaboradores é uma forma de melhorar a inteligência emocional no trabalho. Não estou falando em ressaltar as falhas do colaborador, mas em analisar de forma transparente e respeitosa o seu desempenho, mostrando seus pontos fracos e fortes. Dessa forma, ele não verá seus pontos fracos como erros ou defeitos e sim como características que podem ser melhoradas e aperfeiçoadas. Além disso, mostre-se aberto a receber o feedback de seus colaboradores e incentive os demais líderes a fazerem o mesmo. Assim você trabalha duas frentes: a autoaceitação e a confiança do colaborador. 

3- Incentive a recompensa 

Inteligência emocional no trabalho

Os funcionários podem se sentir isolados e emocionalmente fechados uns com os outros se houver medo de correr riscos e falhar. Se esse medo existe em seu escritório, nunca haverá novas idéias e sua empresa corre o risco de estagnar. Para aumentar a inteligência emocional no trabalho, experimente recompensar e reconhecer sua equipe sempre que eles tentarem algo novo ou diferente. 

Ao criar uma cultura onde a iniciativa e o pensamento inovador são recompensados ​​(mesmo quando não são bem-sucedidos), seus colaboradores ficarão mais à vontade e grandes idéias começarão a fluir.

4- Promova a responsabilidade

Inteligência emocional no trabalho

Uma pessoa emocionalmente inteligente é autoconsciente e, portanto, capaz de assumir a responsabilidade por suas ações – tanto quando as coisas dão certo, quanto quando dão errado. As empresas com uma estrutura administrativa hierárquica de cima para baixo, deixam de encorajar a responsabilização e o autogerenciamento, pois os líderes acabam sendo responsabilizados por todas as falhas.

Em uma hierarquia mais horizontal, a liderança incentiva o compartilhamento de crédito, decisões e responsabilidade. O que ajuda a desenvolver a autoconsciência em seus colaboradores.

6- Escolha o líder certo

A criação de uma equipe em que os funcionários sejam capazes de criar empatia e se comunicar bem é muito influenciada pelo líder que seguem. É importante escolher um líder que exiba inteligência emocional no trabalho para garantir que ela flua e se desenvolva na equipe. 

Líderes emocionalmente inteligentes podem cultivar a mesma qualidade em seus subordinados, sendo capazes de expressar claramente seus pensamentos, estando cientes do que está acontecendo ao seu redor e sendo capazes de lidar com conflitos.

Agora é com você!

Gerenciar equipes pensando no desenvolvimento da inteligência emocional no trabalho é um compromisso que pode  melhorar o desempenho e os resultados do negócio como um todo. E seguindo as dicas desse artigo, você pode descomplicar esse processo. Compreensão e apoio são construídos em pequenos gestos no dia a dia. Então, comece hoje essas ações e construa equipes emocionalmente inteligentes trabalhando a favor do seu negócio!