Modelo de Gestão – Qual o ideal para o seu escritório?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Você sabe qual modelo de gestão é seguido em seu escritório? Pois saiba que, não ter essa consciência pode prejudicar o direcionamento do seu negócio. Isso porque, quando existe um modelo de gestão claro, definido e estruturado, gestores e colaboradores sabem exatamente o que esperar uns dos outros. Isso é capaz de impulsionar a comunicação do seu escritório e melhorar a produtividade, performance e eficiência de um time.

Assim, definir o modelo de gestão de uma empresa é determinante para que se consiga alcançar altos níveis de excelência e, consequentemente, se tornar mais competitiva. Nesse sentido, existem diferentes tipos de gestão que o seu escritório pode adotar. E é sobre eles que falaremos neste artigo. Nas próximas linhas você vai conhecer os principais modelos de gestão e como encontrar o ideal para a sua empresa. 

Vamos lá?

O que é modelo de gestão é porque ele é importante para o seu escritório?

O modelo de gestão é um conjunto de princípios que ajudam a definir processos e a promover o controle e a alocação dos recursos de uma empresa, sejam eles financeiros, materiais, tecnológicos ou humanos. Sendo capaz de manter um negócio funcionando de maneira organizada e harmônica. 

Também é possível dizer que o modelo de gestão é o caminho que um líder escolhe percorrer. Como um estilo que pode ser inspirado em modelos já existentes ou mesmo ser personalizado de acordo com suas características e cultura da empresa. 

Existem diversos fatores que podem influenciar um modelo de gestão, entre eles estão:

  • valores e ideais pessoais;
  • personalidade do gestor;
  • metas de produção da empresa;
  • tamanho da equipe;
  • perfil dos profissionais liderados;
  • políticas internas da empresa;
  • cenário socioeconômico;
  • competitividade do mercado.

Os 8 principais modelos de gestão

Considerando os diversos fatores que definem e influenciam um modelo de gestão, existem alguns já bem delineados e utilizados no mercado corporativo. São modelos estudados e adotados por diversos profissionais ao redor do mundo. 

Apesar de cada gestor poder montar seu próprio estilo, esses modelos servem como base e inspiração. 

Veja alguns deles abaixo:

1- Democrática

O modelo de gestão democrática é aquele que valoriza os talentos organizacionais, mantendo a equipe sempre unida em torno de um mesmo objetivo. 

Aqui o colaborador tem voz e participação ativa nas decisões, além de amplo espaço para compartilhar ideias e pensamentos. Essa colaboração mais horizontal, faz com que os profissionais busquem, com mais afinco, adquirir conhecimento e desenvolver suas habilidades para contribuírem de forma mais efetiva com o todo. 

Esse é um modelo poderoso quando todos na equipe são bem capacitados e dominam suas funções, podendo contribuir com insights que você, como gestor,  talvez não pudesse ver “de fora”. Os problemas,aqui, costumam ser os conflitos e a falta de objetividade. Afinal, existem chances dessa equipe passar mais tempo pensando na teoria do que colocando tudo em prática. 

2- Inspiradora

Esse modelo de gestão é baseado na premissa de que,  quando somos positivamente inspirados, fazemos melhor e nos tornamos melhores.

Assim, um líder que segue o modelo de gestão inspirador, costuma dedicar grandes esforços para ser um exemplo para sua equipe em todos os sentidos. Isso porque, aqui não é apenas a metodologia de trabalho e o empenho com as tarefas que conta, mas principalmente, suas habilidades humanas e seu comportamento em relação com seus colaboradores.

Neste modelo é possível contar com equipes de alta performance sem precisar usar a autoridade de forma autocrática ou coercitiva. 

3 – Meritocrática

O modelo de gestão por meritocracia representa um modelo justo e bem direcionado de gestão de pessoas. Aqui, cada colaborador tem seu valor baseado em seus esforços e nos resultados alcançados por ele em favor da organização. 

O gestor que utiliza esse modelo, lida com um ambiente altamente competitivo. Afinal, a busca pelo reconhecimento é grande e demanda muito jogo de cintura. No entanto, quando bem planejada e administrada, é capaz de trazer grandes benefícios aos colaboradores, que se sentem motivados a desenvolver suas habilidades para utilizá-las junto ao escritório.

4 – Com foco em resultados

Como o próprio nome sugere, neste modelo de gestão os passos trilhados pelo profissional não são tão importantes quanto os resultados que ele alcança.

Aqui se valoriza o trabalho em equipe, soluções inovadoras e insights fora da caixa, para resolver questões, problemas e demandas da empresa.

O gestor que utiliza este tipo de gestão é claro quanto aos seus objetivos e permite que a equipe tenha liberdade criativa para que os resultados sejam alcançados. Além de fornecer aconselhamento e feedback com frequência

5 – Por processos

Baseado na construção de diretrizes bem definidas, o modelo de gestão por processos tem grande foco na eliminação de imperfeições, gargalos e falta de padrão. 

Seu ponto forte é a estabilidade obtida ao longo dos anos, através de métodos cada vez mais aperfeiçoados, que podem ser aplicados por novos colaboradores sem uma queda na qualidade.

A gestão aqui se importa menos com o período e mais com a eficiência e a eficácia do que está sendo feito. Apesar de levar mais tempo para avançar nos resultados, esse modelo é interessante por diminuir o índice de erros e aprimorar o trabalho realizado.

6- Flexível

A ideia do modelo de gestão flexível é a descentralização dos processos organizacionais, de forma que haja maior participação dos colaboradores nas tomadas de decisão.

Aqui há um grande incentivo em treinamento, desenvolvimento e avaliação de desempenho, para que as equipes se provem capazes de lidar com grandes responsabilidades.

Esse modelo busca fortalecer os aspectos da interação humana e se conectar, de forma eficiente, com todos os stakeholders do negócio. 

7 – Centralizadora

O modelo de gestão centralizadora gira em torno da figura do gestor, que detém para si o máximo de atribuições. Isso porque, aqui, acredita-se que somente o nível mais alto de hierarquia é capaz de tomar decisões e faz pouco uso das habilidades de sua equipe.

Esse modelo costuma gerar desmotivação das equipes, pois existem poucas oportunidades de crescimento, desenvolvimento e participação. 

No entanto, o modelo pode ser válido em momentos em que centralizar as tarefas seja a melhor opção, como em uma crise, por exemplo. 

8- Por excelência

O modelo de gestão por excelência é voltado para a melhoria contínua do negócio usando ferramentas relacionadas ao controle de qualidade. Aqui, a inovação desempenha um papel especialmente destacável, assim como a visão de futuro.

Esse modelo também valoriza os colaboradores. Sabe aquela ideia de trabalhador com salário baixo e desmotivado? Nesse modelo de gestão essa situação é substituída por uma política estruturada de benefícios e vantagens para valorizar o profissional.

Como escolher o modelo de gestão ideal para o meu escritório?

Ter diversas opções de modelos de gestão, não significa que você, necessariamente, tenha que escolher um deles como o ideal para o seu escritório. Na verdade, a flexibilidade é o segredo de uma boa gestão. 

Por exemplo, em momentos de crise ou mudanças, talvez o modelo centralizador seja o ideal para que se tenha um pouco mais de controle em relação às atividades do escritório. Enquanto em momentos de crescimento, no qual, novos colaboradores chegam ao escritório, pode ser que uma gestão focada em processos seja a melhor opção. 

Ou seja, não existe modelo de gestão ideal e sim aquele que melhor se adapta ao momento e às necessidades do seu escritório. Por isso é importante conhecer cada um deles e ter flexibilidade para mesclá-los sempre que for preciso.

Então é isso!

Espero que esse conteúdo tenha ajudado você a conhecer alguns dos principais modelos de gestão e entendido que não existe um ideal e sim, aquele que melhor se adapta as necessidades do seu negócio. Como uma última dica, sugiro que priorize os modelos baseados na participação e diálogo com o time, possibilitando o engajamento no trabalho e o compartilhamento de ideias. Afinal, seus colaboradores são a porta de entrada para a inovação e a força principal do seu negócio. Por isso, é sempre importante valorizar a colaboração de cada um deles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *