PLR na contabilidade – Saiba como a estratégia de partilhar seus lucros pode ser rentável para o seu escritório

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Se tem uma coisa que todo escritório almeja é ter profissionais mais engajados, motivados e produtivos. E, em meio a inúmeras estratégias usadas para conquistar essa meta, existe  o programa de participação nos lucros e resultados, também conhecido como PLR

Pois é, muitos empreendedores optam por essa modalidade de remuneração variável, como uma forma motivar e incentivar seus colaboradores. Isso porque, esse benefício flexível se enquadra com uma contribuição direta em que o colaborador recebe um adicional em dinheiro em função da lucratividade da empresa em determinado período. Ainda, essa também é uma forma de atrair novos talentos, além de trazer uma série de outras vantagens para o negócio.

Por isso, se você deseja atingir esses resultados, vale a pena entender mais sobre a PLR e como implantá-la.

Vamos lá? 

O que é PLR?

PLR é um modelo de remuneração que se baseia na divisão dos lucros do escritório com os colaboradores que fazem parte do negócio. Basicamente, o gestor estipula metas e, quando alcançadas, os profissionais têm o direito de receber uma quantia extra como recompensa por seus esforços. Essa quantia é uma porcentagem calculada de acordo com a lucratividade da companhia.

Em resumo, a ideia do gestor que decide implementar esse tipo de remuneração, é fazer com que sua equipe entenda que o sucesso da empresa é fruto do sucesso de cada um deles. 

Apesar de ser um benefício regulamentado pela Lei 10.101/2000, a legislação trabalhista não obriga nenhum empregador a pagar PLR aos seus colaboradores. No entanto, quando ela opta por oferecer esse bônus aos seus profissionais, é feita uma negociação entre empregador e empregado, por meio de uma comissão paritária ou apoio sindical e, após a decisão tomada, a empresa não pode voltar atrás e retirar o benefício. 

Como acontece o pagamento da PLR

A lei não estipula uma data ou período correto para pagamento da PLR. Dessa forma, as empresas costumam realizá-lo de maneira anual ou semestral, de acordo com o que foi efetivado em contrato. Também podem ser combinadas as formas de pagamento a partir da lucratividade da empresa. Contudo, existem duas maneiras que são as mais adotadas no mercado, veja:

Pagamento individual ou por setor

Aqui, a empresa concede o benefício de acordo com o desempenho individual do colaborador ou de todo o departamento, durante um determinado período.

Essa é uma das formas de pagamento da PLR mais utilizada, pois é uma maneira mais segura e justa de recompensar a força de trabalho, seja pelo seu esforço individual ou em equipe. 

Nessa opção, os pagamentos costumam acontecer de maneira semestral. 

Pagamento para toda a empresa

Já nessa outra modalidade de pagamento da PLR, a empresa estipula uma meta de lucro a ser cumprida, no ano, por toda a empresa e, caso o valor seja alcançado, todos os colaboradores recebem o mesmo percentual. Isso quer dizer que, independentemente do comprometimento individual, o valor da PLR será o mesmo para todos.

Não é atoa que essa opção costuma dividir opiniões. Afinal, uns podem se esforçar mais que outros para que a meta seja alcançada.

Qual a diferença entre PLR e PPR

Você já fez essa pergunta a si mesmo ou chegou aqui achando que PPR era o mesmo PLR, acertei? Pois saiba que os dois termos são diferentes.

Na PLR, o que acontece é a divisão dos lucros, ou seja, o colaborador só recebe esses valores se a empresa, além de alcançar bons resultados, conseguir de fato gerar lucros. Ou seja, ela não é uma despesa sem retorno e, sim, um pagamento atrelado à meta que o escritório alcançou e resultou na sua lucratividade. Assim, se não há lucro, não há PLR.

Já no PPR, Programa de Participação nos Resultados, ainda que o negócio tenha prejuízos, se as metas definidas forem cumpridas, o colaborador receberá a quantia previamente definida pelo programa. Afinal, o bônus é referente aos resultados e não aos lucros. 

Por isso, é importante entender a diferença entre esses dois termos, pois são muito semelhantes e podem gerar confusão na hora de implantar e comunicar aos seus colaboradores. 

Como calcular a PLR?

Como a PLR é um benefício fruto da negociação entre colaborador, empresa e sindicato ou por meio de acordo coletivo, saiba que, assim como no pagamento, não existe uma regra para calculá-la.

A lei apenas determina que é vedado o pagamento mais de duas vezes por ano e que os períodos devem respeitar o intervalo de três meses. Além disso, ela também estabelece regras de transparência, orientando a empresa a deixar claro aos seus colaboradores os requisitos a serem cumpridos para se ter direito à participação nos lucros, sem deixar margem para interpretações equivocadas.

Alguns desses requisitos são: 

  • Índice de produtividade, qualidade e lucratividade da empresa;
  • Programas de metas;
  • Resultados;
  • Prazos.

O ideal é que o seu escritório tenha um programa elaborado e consiga definir com clareza a fórmula que será aplicada. Com isso, o colaborador saberá exatamente o que fazer para contribuir com a meta.

Quer um exemplo? Vamos lá! Suponhamos que seu negócio tenha estipulado como meta para a equipe aumentar em 40% o lucro em relação ao ano anterior. Com isso, você pode definir que, se esse resultado for alcançado, 30% do lucro será repartido entre o grupo. 

Essa repartição pode se dar em percentuais fixos, isto é, todos recebem a mesma quantia, ou ainda de maneira proporcional. No segundo caso, é possível, por exemplo, estabelecer uma proporção do valor a ser dividido, como:

  • 30% ficará para o setor de vendas;
  • 30% com o setor de marketing;
  • 20% para a operação;
  • 20% para o financeiro.

Do mesmo modo, a divisão entre os colaboradores pode ser igualitária ou levar em consideração o desempenho individual. 

Como implantar a PLR em seu escritório?

Agora que você entende bem o conceito da PLR, deve estar pensando que implantar esse programa de remuneração em seu escritório seja bem trabalhoso, não é mesmo? Pois saiba que não é. 

Com apenas alguns passos você consegue estruturá-lo de maneira bem eficiente.  

Veja abaixo:

1- Selecione a comissão

A Lei que regula sobre a PLR determina que este programa é uma negociação entre empresa e  seu time. Por conta disso, o primeiro passo da implantação deve ser a escolha da comissão responsável por representar os colaboradores e discutir os termos e critérios para pagamento da PLR.

Essa escolha pode ser feita pelos próprios colaboradores, por meio de uma votação, ou pela empresa, que pode selecionar os profissionais mais engajados e conscientes da cultura organizacional do escritório

É importante que, dentro dessa comissão, esteja presente também um representante do sindicato para que sejam assegurados os direitos tanto da empresa quanto dos funcionários referente a PLR

2- Defina os critérios de avaliação

Tendo formado a sua comissão para discussão dos termos, o segundo passo é definir os critérios e condições de avaliação para pagamento da PLR, levando em consideração os pontos que citei antes, como:

  • índices de produtividade;
  • qualidade ou lucratividade da empresa;
  • programas de metas;
  • resultados;
  • prazos.

A comissão definida no primeiro passo deverá chegar a um acordo sobre os temas escolhidos, a medição utilizada e o período a ser adotado para avaliação.

Aqui, é importante analisar com calma quais são as metas mais importantes para empresa e que realmente fazem sentido constarem como critérios para o benefício. 

Por exemplo, se o absenteísmo está alto na empresa, pode ser interessante considerá-lo como requisito para pagamento da PLR. Ou seja, os entraves que impedem o crescimento do negócio, ou impossibilitam que ele tenha um melhor fluxo de trabalho, devem estar presentes neste acordo. 

Além disso, procure ser realista com as metas. Afinal, não adianta adicionar ao acordo algo impossível de ser alcançado. Procure manter os critérios desafiadores, mas não irreais.  

3- Documente o acordo e comunique aos colaboradores

Comissão e critérios definidos, agora é importante que você documente tudo isso.

Crie algo como uma Política da PLR, com todas as informações que coletamos e adicione também as questões que mencionamos aqui, como: o que é PLR, como é feito o seu cálculo e como deve ser realizado o pagamento. O objetivo é manter centralizada todas as informações sobre esse benefício.

Feito isso, convide seus colaboradores para uma reunião e explique cada página desse documento, assim como, cada critério definido para avaliação. Seja transparente e informe o porquê dessas escolhas e esteja aberto para esclarecer todas as dúvidas que irão surgir nesse momento e, se possível, convide o representante do sindicato, que faz parte da sua comissão, para participar dessa reunião também.

Tire um tempo para esse encontro e não o faça com pressa. Lembre-se que o intuito aqui é que seus colaboradores entendam sobre a PLR e compreendam o seu papel nos resultados da empresa. 

4- Acompanhe

Por fim, é importante que você acompanhe, junto com os gestores de cada departamento, se as metas definidas estão sendo atingidas. 

Esse acompanhamento é fundamental para garantir os lucros da empresa. Afinal, sem lucros não há PLR. Portanto, esteja atento às métricas e critérios definidos e, caso exista algum gargalo ou entrave impedindo que eles sejam alcançados, seja ágil para sugerir e implantar melhorias que possam solucioná-los. 

Manter um olhar atento, irá auxiliá-lo na identificação de falhas e na correção das mesmas, aproximando seu escritório e seus colaboradores dos resultados almejados. 

Quais os benefícios da PLR para o seu escritório?

Implantar um programa de incentivo, como a PLR, em seu escritório, pode trazer centenas de benefícios. Abaixo eu listei alguns deles, veja:

  • Aumenta os lucros da empresa;
  • Não têm ônus tributário;
  • Pode ser deduzido do Imposto de Renda do escritório;
  • Melhora a qualidade do serviço;
  • Aumenta o sentimento de pertencimento; 
  • Melhora a produtividade; 
  • Gera maior integração entre as equipes;
  • Reduz as taxas de absenteísmo;
  • Diminui o turnover.

O programa de participação nos lucros e resultados prejudica a lucratividade de um escritório?

Muitas empresas ainda enxergam a PLR dessa maneira incorreta, quando na verdade, essa pode se tornar uma grande estratégia de negócio. Isso porque, o lucro só é repartido quando a equipe atinge as metas estabelecidas. Com essa informação já é possível concluir que sua empresa tem muito a ganhar com a PLR. Além disso, em momentos em que se faz necessário elevar o nível e qualidade do serviço para disputar mercado e aumentar a rentabilidade, apostar nessa recompensa atrelada ao alcance de metas, pode ser muito interessante. Afinal, o empenho e a dedicação do seu time aprimora seus resultados e isso traz reflexos expressivos nas finanças da empresa. Assim, mesmo repartindo os ganhos, você terá um lucro ainda melhor.

Pronto para implantar a PLR no seu escritório?

Espero que esse artigo tenha ajudado você a entender melhor o que é PLR, como funciona o seu pagamento, o que diz a lei, como é feito o seu cálculo e como acontece a sua implantação.

Agora é você. 

Até o próximo conteúdo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *